Lógica da Freira

30-10-2010 23:30

 Duas freiras saíram do convento para vender biscoitos. Uma é Irmã Maria e a outra é a Irmã Léia.

 

Irmã Maria: — Está ficando escuro e nós ainda estamos longe do convento!

Irmã Léia: — Você reparou que um homem está nos seguindo há uma meia hora?

Irmã Maria: — Sim, o que será que ele quer?

Irmã Léia: — É lógico! Ele quer nos estuprar.

Irmã Maria: — Oh, não! Se continuarmos neste ritmo ele vai nos alcançar, no máximo em 15 minutos. O que vamos fazer?

Irmã Léia: — A única coisa Lógica a fazer é andarmos mais rápido!

Irmã Maria: — Não está funcionando.

Irmã Léia : — Claro que não! Ele fez a única coisa lógica a fazer, ele também começou andar mais rápido.

Irmã Maria: — E agora, o que devemos fazer? Ele nos alcançará em 1 minuto!

Irmã Léia: — A única coisa lógica que nos resta fazer, é nos separar! Você vai para aquele lado e eu vou pelo outro. Ele não poderá seguir nós duas ao mesmo tempo.

Então, o homem decidiu seguir Irmã Léia.

A Irmã Maria chegou ao convento, preocupada com o que poderia ter acontecido à Irmã Léia.

Passado um bom tempo, eis que chega Irmã Léia.

Irmã Maria: — Irmã Léia! Graças a Deus você chegou! Me conte o que aconteceu!

Irmã Léia: — Aconteceu o lógico. O homem não podia seguir-nos as duas, então ele optou por me seguir.

Irmã Maria: — Então, o que aconteceu?

Irmã Léia : — O lógico, eu comecei a correr o mais rápido que podia e ele correu o mais rápido que ele podia, também...

Irmã Maria: — E então?....

Irmã Léia: — Novamente aconteceu o lógico: ele me alcançou.

Irmã Maria: — Oh, meu Deus! O que você fez?

Irmã Léia : — Eu fiz o lógico: levantei meu hábito.

Irmã Maria: — Oh, Irmã Léia! E o que o homem fez?

Irmã Léia: — Ele, também, fez o lógico: abaixou as calças.

Irmã Maria: — Oh, não! O que aconteceu depois?

Irmã Léia: — O óbvio, Irmã Maria... Uma freira com o hábito levantado consegue correr muito mais rápido do que um homem com as calças abaixadas!

 

P.S.: Se você pensou em outro fim para a história reze 100 ave marias e 200 pai nossos, seu pervertido!

—————

Voltar